HOMENAGEADO DO XXIII CNLF


Parte inferior do formulárioIngedore Grünfeld Villaça Koch

   Ingedore Grünfeld Villaça Koch nasceu na Alemanha, em Eisenach, em 22 de setembro de 1933, no seio de uma família judaica: seu pai, o professor Paul Grünfeld, e sua mãe, Annemarie Fackenheim. Seu avô materno, o médico Julius Fackenheim, morreu no campo de concentração nazista de Theresienstadt (Terezín) em 13 de novembro de 1942. Seu tio materno, Alfred Fackenheim, foi morto no campo de extermínio nazista de Auschwitz em 1943. Naturalizou-se brasileira em 7 de julho de 1955 e casou-se em 1959 com o advogado Luís Carlos Villaça Koch. Faleceu em São Paulo, em 15 de maio de 2018.

    Ingedore Koch chegou ao Brasil em 22 de fevereiro de 1939, com apenas seis anos de idade. Portanto, antes do início da Segunda Guerra Mundial. Graduou-se, primeiramente, em Direito pela Universidade de São Paulo em 1956; e, em 1974, em Letras pela Faculdade de Filosofia, Ciência e Letras Castro Alves. Fez mestrado e o doutorado em Língua Portuguesa pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, e o seu pós-doutorado pela Universidade de Tubinga, na Alemanha.

   Ingedore Koch – como é conhecida pela Comunidade Acadêmica brasileira – implementou a área de Linguís-tica textual no Instituto de Estudos da Linguagem da Unicamp (IEL-Unicamp), onde atuou e se aposentou como Professora-Titular.

    Ingedore Koch foi uma linguista brasileira e professora titular da Universidade Estadual de Campinas por quase trinta anos, onde lecionou na graduação e na pós-graduação na área de Letras e Comunicações, atuando também como orientadora de pós-graduação. Durante esse período, ministrou cursos de Extensão e Especialização para professores em todo o país. Também foi docente nos Ensinos Fundamental e Médio. Convém, ressaltar que, em seus projetos, além de questões específicas do campo dos estudos textuais e sociocognitivos, tem oferecido elementos para os diversos questionamentos acerca de leitura e produção de textos.

  Entre nós, destacou-se principalmente por suas publicações de natureza linguística, que frequentemente são citadas nos cursos de Letras do país e nas obras afins de renomados estudiosos. Tornou-se pesquisadora emérita pelo CNPq, em virtude de sua vasta obra científico-tecnológica, que lhe confere ainda hoje o merecido renome e o reconhecimento de seus pares.

    É, portanto, uma indispensável referência em estudos linguísticos, sobretudo em áreas relacionadas aos estudos do texto e do discurso, que receberam as denominações de  linguística textualcognição e linguística aplicada.

   Por sua importância na área, obras de relevância já foram produzidas em sua homenagem, entre os quais destacam-se, por exemplo, o Linguística Textual: interfaces e delimitações, de Edson Rosa Francisco de Souza et al., e o Coleção – Ingedore, com seis livros, pela Contexto. O legado deixado por Koch é deveras extenso: Linguística Aplicada ao Português: Morfologia e Sintaxe (em coautoria); Argumentação e Linguagem, Texto e Coerência (em coautoria); Desvendando os segredos do texto; Intertextualidade – diálogos possíveis (em coautoria); A coesão textual; A coerência textual; A inter-ação pela linguagem; O texto e a construção dos sentidos; Ler e Compreender – os sentidos do texto (em coautoria); Ler e Escrever (em coautoria); Introdução à Linguística Textual; As Tramas do Texto.

    Também escreveu, em coautoria com Mário Vilela, uma Gramática da Língua Portuguesa pela Editora Almedina, de Coimbra-Portugal, e coorganizou com Clélia Cândida Abreu Spinardi Jubran uma Gramática do português culto falado no Brasil: a construção do texto falado. Além dos diversos artigos publicados em revistas e coletâneas de livros, no país e no exterior.

 

Principais obras de  Ingedore Koch




 





    




 

...........................................................................................................................................................

Copyright © Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos